fbpx
Estoque, Moda, Vendas

Máscara vira moda: bom para lojas de roupas!

julho 17, 2020
Tempo de leitura 7 min

 

A necessidade de adaptação às novas normas sanitárias provocadas pela pandemia do coronavírus trouxe um novo elemento à rotina dos brasileiros: a máscara. Por mais estranho que possa parecer, com o passar do tempo a máscara tem passado de item essencial à categoria de acessório (necessário) de vestuário. E isso pode ser bom para lojas de roupas.

 

A chegada do novo coronavírus ao Brasil trouxe grandes mudanças. Isso atingiu não só o dia-a-dia das pessoas, como também as lojas de roupas.

Os consumidores, em momentos de insegurança como o que estamos passando, priorizam a compra de itens essenciais. Por essa razão a venda de roupas e acessórios cai significativamente!

Por isso, e também pelas novas medidas de segurança sanitária protocoladas pela OMS, muitas lojas tiveram que se reinventar! Algumas já começaram a apresentar em sua gama de produtos um acessório obrigatório para estes tempos como um item de vestuário. Estamos falando das máscaras!

 

Fechou tudo. E agora?

Durante o período de quarentena, muitas cidades proibiram a abertura do comércio não essencial, orientando a população a não sair de casa. Isso impactou profundamente o varejo de moda, que teve que se adaptar para continuar sobrevivendo. Algumas lojas físicas investiram também na venda online, na esperança de, em breve, poderem reabrir as portas.

Agora, várias cidades experimentam a reabertura gradual do comércio com medidas de segurança. Com isso, encontram uma realidade bastante diferente do momento em que precisaram fechar. O fluxo de pessoas nas ruas ainda está bem menor do que o “normal”. 

Isso porque grande parte da população ainda está confinada, em isolamento social. Essa realidade diminui o interesse e a necessidade das pessoas em renovar as peças do guarda-roupa. 

 

Mas aumenta sua busca por itens de proteção, como a máscara!

As pessoas que precisam “furar” o isolamento e circulam pelas cidades, exibem o rosto parcialmente tampado por máscaras. Seja por prevenção, seja por orientação ou decreto de suas cidades e estados. 

Observando o comportamento do consumidor em outros países, as transformações e tendências provocadas pela pandemia devem perdurar. Mesmo depois que passar o pico da doença! O que se estima é que o uso das máscara se mantenha e que ela passe a fazer parte do vestuário das pessoas. 

Portanto, se a máscara passou a se tornar um item de vestuário, o varejo de moda pode se beneficiar do seu uso. 

 

Já pensou nisso?

Este é um momento delicado e que, com certeza, provocará diversas transformações nos modos de ser, agir e pensar na nossa sociedade. Por essa razão, podemos buscar nesta crise formas de nos mantermos ativos no mercado.

A venda das máscaras pode se tornar uma forma de adaptar o seu negócio ao momento atual. Claro que não estamos falando de máscaras cirúrgicas, nem máscaras simples, de cores neutras.

 

Estamos falando da máscara como item de moda!

Já é possível encontrar no mercado máscaras feitas do mesmo tecido de  tiaras, para serem usadas juntas. Máscaras combinando com blusas e até vestidos. Máscaras com a mesma estampa de camisas masculinas. 

Incluindo a máscara como item de moda na sua loja, você pode aliar a venda de um produto “essencial” à de um produto “não essencial”. Isso vai estimular as vendas e o giro do seu estoque.

 

Temos vários exemplos da máscara como item de moda pelo mundo!

É possível ver reportagens e pesquisas sobre esse assunto. Diversas pessoas já exibem criatividade na composição do look com a máscara. Tanto pessoas que ocupam cargos políticos importantes, como a presidente da Eslováquia, quanto famosos.

Isso já é perceptível também nas ruas. Grande parte da população já tem optado por máscaras que fogem do tradicional e das cores neutras. 

Isso é ótimo! Pois apresenta a  máscara como item de moda. Estimula a compra de diferentes máscaras para combinarem com os diferentes looks.

Afinal de contas, mesmo que algumas pessoas estejam fazendo a própria máscara, este é um item que elas precisam ter mais de um. A higienização correta das máscaras obriga as pessoas a terem esse item em maior quantidade. Assim como meias e roupas íntimas.

Se você, lojista, aliado aos seus fornecedores, conseguir oferecer alternativas atrativas aos seus clientes, é possível que você vá vender mais!

Escolha máscaras que possam criar looks interessantes e direcionados ao seu público. Máscaras que combinem com peças da sua loja. Estampas iguais à de outros produtos que vocês já têm.

Grandes varejistas, como Renner, Riachuelo e C&A já começaram a experimentar ofertar máscaras como itens de vestuário. Ao que tudo indica, tem dado certo!

Isso pode ser também uma saída para o pequeno varejista.

Essas grandes lojas não estão podendo receber clientes de forma presencial. Por isso, têm mantido a sua venda principalmente nos canais online. 

 

É neste momento que o pequeno varejista pode “ganhar” mercado!

Você tem um contato mais próximo e mais íntimo com o seu cliente. Algumas vezes é possível, inclusive, conhecer o gosto de grande parte dos seus clientes mais fiéis.

Se você tem um sistema de gestão que tem o cadastro dos seus clientes, armazena suas informações e tem a possibilidade de enviar SMS, melhor ainda! Assim você já sai na frente para comunicar as novidades!

Muitos donos de lojas físicas de roupas, durante a quarentena, conseguiram cativar e estabelecer público para suas redes sociais. Essa atitude fará toda diferença neste momento!

Afinal de contas, apresentar a máscara como item de vestuário e, principalmente, acessório de moda, é um passo importante para criar no seu público o desejo de comprar o look.

Para isso, é importante saber apresentar os produtos e comunicar com o seu cliente. Isso além de, claro, ter bons produtos para apresentar.

Utilize suas redes sociais para compartilhar conteúdo de moda: 

E utilize a sua vitrine presencial para expressar isso visualmente!

 

Um alerta!

Já entendemos que a máscara pode ser uma boa forma para cativar novamente os clientes para nossa loja. E, neste momento, o que nós mais querermos é expandir as vendas e ampliar a nossa renda. Mas é importante escolhermos bem as palavras e a forma como falaremos disso.

Devemos sempre ressaltar a máscara como item de proteção, ao mesmo tempo em que a apresentamos como um possível item de vestuário! Não podemos fingir que nada está acontecendo! Afinal, como já apresentamos em outros textos, este momento nos exige empatia e segurança.

Muitos psicólogos têm alertado para o fato de este ser um momento de “luto”. São muitas perdas, em vários sentidos.

Portanto, é importante observar também a forma como comunicamos a inclusão da máscara como item de vestuário e de moda. Afinal de contas, podemos aprender com o exemplo de grandes marcas que já foram desaprovadas por isso para  não cometermos os mesmos erros.

 

Uma má comunicação pode atrapalhar uma boa intenção!

Pensando nisso, podemos nos posicionar como pessoas sensíveis a este momento. Portanto, reforce sempre a necessidade da máscara como item de proteção.  E cuidado para não se posicionar como quem apenas quer lucrar com um momento de dor.

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up